Archive for julho \31\UTC 2006

cartas na mesa…
julho 31, 2006

Uma mesa quadrada. Sobre ela, um pano verde, bonito, com umas mandalas bordadas em dourado. Sobre o pano, um baralho grande e muito bem desenhado. Somente duas cadeiras e uma música de fundo muito relaxante.

– De que mês você é Luciano?
– Março, sete de Março..
– Ah! ok! qual seu nome completo?
– Luciano Santos Ferreira..
– Legal! corte o baralho em três partes com a mão esquerda por favor.
– Claro! Um minuto, deime-me apenas tirar o celular do bolso…

Um Homem alegre, brincalhão, que não apresentava pouca idade. Super divertido. Camisa branca, calça cinza, um tênis branco e um boné com uma estampa de letras japonesas em preto e laranjado.
Eu? No meu bom e velho preto e cinza.
Não estava preparado para o momento, pois aquilo seria apenas uma visita à mãe. Mas já que estávamos la… Sua voz calma e seu sorriso largo, falava da minha vida. Me mostrava momentos bons e coisas que eu jamais quis acreditar, mas que coincidência ou não, estava acontecendo. Lá falamos de profissão, de coração, de amor, amigos e paixão… Tudo sempre com os pés no chão! Perguntas… ótimas respostas…

– Decisões a ser tomada?
– Que tal esperar o tempo.. deixe que as coisas vão acontecendo!

Sabe o coração? pois eh… ele me mostrou que realmente bate, e que nele existem espaços pra sentimentos, e cabe ao cérebro uma boa comunicação para que as decisões sejam tomadas.
Ao fundo as ondas do mar quebrava, naquela música calma e sonhadora. E dentro de mim, túneis iam sendo iluminados, quebra-cabeças montados… Sim! Era uma explosão de desejos e informações. Naquela hora eu ria muito e só queria um cigarro!
Até me divertir, coisa que eu sempre soube fazer, descobri que não sei. E o pior! Descobri que estou precisando. Momentos sozinhos, um pouco mais de carinho, cuidar da família, preservar os amigos, todas as respostas vinham, e, mesmo sempre fazendo sentindo, todas inesperadas.
Então aquele bom homem e meu novo amigo me pede um favor! Me passa uma missão, com um olhar sério e os dentes a mostra numa expressão de carinho e admiração:

– Luh! Você é um cara muito especial. Tem um coração que poucos no mundo tem. Sai por aquela porta e vai ser feliz…

..é o que estou indo fazer! A começar pelo café com pão de queijo! aceita?

engraçado?…
julho 28, 2006

Engraçado como tudo na nossa vida passa tão rápido…
Sem perceber, nascem rugas, caem cabelos, a pele envelhece, as unhas crescem, sentimentos desaparecem, outros aumentam, outros pedem seu coração um espaço para sair, ja outros, por mais que você tente, nem o tempo é capaz de sustentá-los nessa incansável caminhada rumo a felicidade…
Engraaçado como algumas coisas bizarras mudam seus pensamentos. Um grito que te alegra, um voz que te irrita, um filme que te faz se tornar um ser despresível ou uma novela que mostra só o lado bom da vida…
Engraçado como você passa horas com alguém que você gosta. Gosta? Ama? acho que não sei o que é isso… mas então… engraçado como você, mesmo depois disso, ainda consegue chegar em casa, jogar os sapatos debaixo da cama, tirar as meias e deixa-las no chão, tirar a camisa e jogar na cama… sentar na beirada, colocar os cotovelos nos joelhos, as mãos segurando a cabeça pela testa, e como uma descarga de energia, chorar………….
As lágrimas podem não fazer nenhum sentido nessa hora, mas você sabe que nem um abraço de um amigo ou um colo de mãe, pode evitar aquela dor que só um puro sentimento explica… Então a pergunta é: “O que é esta dor?” não não… a mais correta é: “Que sentimento é esse?”…
Bom…
Deixa eu terminar de tomar meu café…

rotina…
julho 26, 2006

priiiiiiiiiiiiim….
seis da manhã, o desptar grita, levanta d cama senão sua mãe t irrita
vai no banhero e lava essa cara, o café da manhã te espera pão, ovo e batata palha
vai pro seu quarto arruma essa cama e anda logo, tira esse pijama
liga o pc sai d tv, entra n msn e cade vc?
as horas não passa o dia fica sem graça, vc tomado pelo tédio so q gritar disgr*
mas calma! paciência!
ainda é tarde de domingo, seu vizinho ja vai acendeu caximbo
então corre pra escada, estão t chamando pode ser alguém q vc ta aguardado
alarme falso, não era ninguém, volta pra net pq chegou alguém
sorriso no rosto dor no pescoço, melhor olhar seu travisseiro heim!
a noite chegou, toma-se um banho vai bater perna por um lugar estranho
chega ali, smack, hummm… fuaaaaaaaa…
para um pouco olha pra frente, tem gente olhando, ah foda-se! siga em frente
a fome bateu vamu logo comer, ta ficando tarde melhor eu correr
chega em casa todo mundo dormindo, o silêncio tomava conta até o cachorro m receber latindo..
bom, vamu durmi ne?

expressão…
julho 18, 2006

…Já não aguentava o frio daquele viaduto vazio! Os carros passavam lá embaixo, e nas fotos pareciam um traço borrado a hidrocor. as luzes daquela noite eram amarelas, e deixavam tudo com a sensação de velho. Pareciam 5 da manhã, e eu ja estava horas no topo daquela ponte, olhando o movimento das pessoas voltando para suas casas, ou talvez indo trabalhar.
Cansado, e mesmo agasalhado, sentia frio. No meu rosto uma expressão de felicidade, mas se você desenhasse, no papel dava pra ver alguma expressão de tristeza. A noite daquele lugar era silenciosa. Dava pra ver muitos prédios altos, e poucas luzes acesas. Quando acendiam uma, apagavam outra. Pareciam dançar ao som dos pensamentos, no ritmo daquela madrugada de inverno. Passavam histórias e perguntas na minha cabeça. As vezes umas diferentes, mas a grande maioria, eram as mesmas que ja venho me perguntado a um tempo.
Queria agora ter um Passat 84 vermelho, em ótimo estado, com um som de cd tocando Stereophonics, meu raiban e minha boina beje me protejendo do sol, minha jaqueta cobrindo parte da minha camisa listrada preto com vermelho (alguns botons traziam boas lembranças), meu jeans, meu allstar, um copo de coca-cola no colo, meu cigarro no porta luva e na estrada só um pensamento: “na mais bela paisagem, eu paro para fotografar”…

as vezes…
julho 13, 2006

as vezes nos pegamos olhando para o tempo, mas com um olhar vago…
as vezes vemos uma lágrima cair mas não sabemos o porque…
as vezes a gente vê um filme que nos faz pensar diferente…
as vezes tudo que queremos é entender o porque, como e onde…
as vezes a gente tem a necessidade de saber porque cada um nasce como nasce…
as vezes um beijo não é suficiente…
as vezes um sorriso vem na hora certa…
as vezes uma lágrima cai na hora errada…
as vezes sua cabeça ta tão confusa, que você sabe que se fugir, vai voltar…
as vezes você só quer que as pessoas te entendam…
as vezes a gente só precisa de amigos…
as vezes eles não estão, as vezes eles estão…
as vezes você que falar pro mundo que ama…
as vezes que odeia…
as vezes nem precisa falar nada…
as vezes você é injusto…
as vezes são com você…
as vezes o jeito que o mundo te abraça não é como você queria…
as vezes o contrário…
as vezes seu coração ameaça parar de bater…
as vezes ele vai explodir…
as vezes você precisa de uma explicação da vida… regressão?
as vezes não…
as vezes sim…
as vezes não…
as vezes…
as vezes…
só vendo!

como dizem…
julho 6, 2006

Um dia vocês estarão semi-nus abraçados no banco de trás do carro, e um sujeito com roupa marron, botas pretas e uma boina quase caindo para o lado, baterá naquele vidro embaçado e perguntará:
– Está acotecendo alguma coisa?
então recomendo que vocês vistam suas roupas, mostrem as identidades e vão embora… para casa? para um lugar seguro? depende…
Deixe que a vontade fala pra vocês!

primeira noite de férias…
julho 1, 2006

– Alô! Luh.. vamos?
– Oi.. hehehe.. vamos sim.. passa aki 21hs bele?
– ta bom! beijo irmão…
– te espero.. beijos!

…As conversas da vida e dos acontecimentos aconteciam naquele ônibus vazio, a caminho de uma bela noite.. ou talvez não tão bela! Depende pra quem. Ela me falava onde devo tentar corrigir meu erro. Erro? Será?!… Ela sempre linda, e sempre do meu lado..
4 caipirinhas… Ja esta feliz? Ótimo!
– Vamos pra la esperar o pássaro? Ele disse que ia me levar pra voar com ele.
– Vamos! saudade dele!

Todo mundo tão bonito pra um lugar tão vazio e com olhares nada agradáveis. Seriam Gaviões atrás da mais preciosa rolinha. (Isso as vezes irrita. Preciso consultar meu manual!)

– Vamos pra casa ne?
Todo mundo tão cansado, mas tão felizes…

– Chegamos! Que pizza? Tem aqui óh! Pássaros devem se alimentar para ter forças pra voar.
…Também quero minhas asas!

– Ja vai embora? Não passe dessa porta sem me der um bom dia com um beijo!
…e soou aos meus ouvidos:
“BOM DIA MEU LINDO”
foi um abraço apertado… saudades já!