Archive for setembro \29\UTC 2006

…tudo que aconteceu!
setembro 29, 2006

Depois de todo aquele momento em boa companhia, fui deixá-la em seu lugar!
Parei ao lado de uma árvore, onde seus galhos, muito secos, mesmo estando na primavera, não cobria toda aquela calçada com sua sombra, da luz vindo da lua…
– Chegamos! Beijo grande pra você.. Foi muito bom te ver!
Ao se aproximar para um abraço carinhoso, recebe com vontade um toque dos lábios.. talvez nunca tivesse sido tão esperado…
– Mas você deixa pra fazer isso na hora de ir embora?
– Pois eh! Tenho medo de chegar em você! Você é um pessoa muito brava!
– Hahahahaha.. Eu não uai…
– Depois marcamos de novo!
– Ok! Beijos…

Então bateu a porta daquele carro sujo, olhou para os lados e atravessou aquela avenida larga, escura e vazia.. Em mim, só deixou a saudade e um gostinho na boca de quem vai querer aquilo de novo!
E claro, nos despedimos com um sorriso…

desabafo!
setembro 27, 2006

hoje acordei me sentido sozinho e com vontade de chorar…
sinto saudade daquilo que ainda não vivemos…
quero mudar pra uma galáxia distante
onde não exista gravidade
nem eletricidade…
onde as mensagens do coração não cheguem ao cérebro…
e eu possa ser feliz por estar sozinho
as vezes nunca ficar triste por estar como estou agora!
remédios não combatem sentimento
saudade só faz aumentar a distância
lágrimas não esgotam tais sofrimentos!
só me deixe rir de dentro pra fora,
pois de fora pra dentro me causa desespero…
acho que ta tudo acabado aos poucos…
alguem?

…dói!

…paranóia!
setembro 26, 2006

Desde o começo soube fazer o que deveria ser feito
sem saber
o porquê disso tudo não faz efeito!

Levar ao caminho que achou ser sua felicidade própria
resposta
nao, talvez só um momento de glória!

sonhar e achar que tudo foi tão real
acordar
sem acreditar que aquele era um país tropical!

os dias não faziam sentido pra ele
um momento
era o que ele queria pra ele, na cama dele!

Seu suor era seco em seu colchão
movimentos contínuos
sonho ou ilusão?

Sim! era fato..

fato sentindo no tato, tocado no peito, batido na alma, corte no dedo, pulso caliente, olhar envolvente, cheiro agradável, brisa quente, roubou-se seu beijo, mas não sabe o que sente…

até quando?!

…eu, eu mesmo e o teclado!
setembro 19, 2006

CHEGUEI!
– Opa.. corre pra escrever!
– Mas escrever o que? Ainda nem tirei o tênis?
– Joga ele pro lado, estou atrasado, pode ser que não dê tempo.. inspirações não costumam esperar!
– Ok! Lá esta aquele meu Adiddas preto quase velho debaixo da cama, e as meias jogadas próximas. Música?
– Sim! é legal!
– Vou colocar uma música boa. Muito boa! The Postel Service pode ser ne? Escutei e falei dela hoje mais cedo, empolguei.. Mas coloquei uma das que eu mais gosto ta?
– Nome?
– Such Great Heights!
– Ótimo! Tudo pronto?
– Tudo..
– Agora vem que a caneta te espera..
– Ebaaaaah! Peraí… caneta? não, não, não.. teclado!
– É! Isso. Dá no mesmo!

– Vai, pode escrever… começa logo!
– Tah, mas erscrever o que?
– Como o que?
– É.. me fugiu a idéia!
– Idéia? que idéia.. num era um depoimento?
– DEPOIMENTO?
– É.. eu pensei nisso primeiro, e é isso que importa!
– Ôh Consciência.. desculpa, mas hoje não dá!
– Sério?
– Serio!
– Ta bom. Eu entendo.. Só me dê um segundo para que eu possa te passar uma nova tarefa.
– Já Sei!
– É essa mesmo?
– Num é?
– Logico!
– Então to indo.
– Peraí! BANHO?
– Não né. TV!
– Ah sim. garoto obediente. Faz o que a consciência manda, e não seu mundo exterior.
– TEM QUE SER NE?!
– Esse é meu garoto…

…ganhei!
setembro 8, 2006

ate onde chegamos!
pode ser noite.
pode ser dia
pode ser agora.
nao tem tempo
nem momento
nao tem como explicar
nem como acalmar
nao e de lua
nao ta na rua
tem explicaçao?
menino camaleao!
mudo agora
mudo a tardinha
nao fira meu humor
qualquer momento pode ser dor.
nao tem preço
nao tem cor
nao tem cheiro
nao tem flor.
pode ser cravo
pode ser rosa
pode ser privado
pode ser gostosa!
tem explicaçao?
eita menino camaleao!
tento me entender,
mas nao ligo pras respostas
tento compriender
mas ve se nem enconsta!
sim! tem explicaçao!
e um menino camaleão

…la atrás!
setembro 4, 2006

chegou tão mancinho…
parece ter sido o respingo da pólvora que saiu daquele tiro que foi direto no coração.. sem capacidade pra acreditar no que estava vendo, sem poder alimentar as esperanças de um simples toque quando a sensibilidade de um coração vazio e o canto do sague correndo pelas veias, sai de seu olhar como um grito, e em um pulo alto de desespero, pede pra sair… acha a saída! segue a luz daquele caminho que parece longo mas nunca cansativo. Havia sombra, havia confornto, sempre predominava verdade.
Hoje, sentado num cantinho quante, se junta aos joelhos e deixa sair aquela emoção que demorou pra entrar, mas que hoje sai deixando seus resíduos, e sua timidez, de quem um dia encontrou a fonte de toda sua felicidade..
Estar mais perto.. ele sairá do cantinho e ainda vai aproximar daquela luz, talvez sem poder tocar, mas vai sempre estar junto de seu brilho!