Archive for novembro \30\UTC 2006

A VIDA CONTADA EM TIRINHA
novembro 30, 2006

sentado.. pensando
tem que rir de felicidade
mas vem cá! pensa comigo
eh td tão fora da realidade

olha ao seu lado
esta vazio!
não, não está!
vai está sempre d seu lado!

Anúncios

…dedo!
novembro 29, 2006

é o que eu sempre digo, nada como um dia após o outro…
No dia que você está bem
sem pensar em ninguém
você pensa que mal tem
se minha felicidade é esse vai-e-vem

parece até conto de fadas
que como um anjo que tenta voar sem asas
corre pro alto de um morro e tenta pular
mais acha mais divertido gritar lá de cima:
VALEEEEEEEEEEEEEU…
mas gritar sem pular?

não foi essa a intenção
gritar com toda essa tensão
perder a razão
ao invés de pular, o que ia dar muito mais emoção!

colar, pintar, rasgar, sortear
sorteia e perde a graça
não que mais pensar em sua desgraça
se naquela noite, naquela praça
viu sua felicidade recomeçar…
parece que foi ontem que partiu do zero!

lembra da praça?
nao! claro que você não lembra…
só eu estava lá!

ninguem pra me encontrar
nenhum som pra atrapalhar
só eu e ela
tão brilhante e tão profunda
linda como nunca
estou falando do sorriso que a lua deu pra mim
não daquele anel de brilhante que aquela patricinha chata usava
e jurava
que fosse da H. Stern!

hahahahaha…
palavras sem sentido, mas com sentido único!
felicidade pra mim, pra você, pra quem quiser ouvir
diferente de apenas escutar
e não deixar fluir…

é o que eu sempre digo, nada como um dia após o outro…

…vazio!
novembro 10, 2006

Não preciso e não quero que ninguém concorde
não quero que ninguém me acorde
desse pesadelo sem corte
que parece viver até a morte

Um rostinho bonitinho
Coberto por uma barba e um cabelo curtinho
por trás daquele sorriso timidozinho
lá estava seu coração vazio e apertadinho

Máscara e uma pessoa sorridente é constante
mas se sente sozinho naquele instante
suas lágrimas descem abundante
e sua tristeza sempre vazante

Senta na escada e sorri pro vazio
não entende de onde vem todo aquele frio
deseja seu colchão macio
sua vida parece estar por um fio

Acham ser um menino feliz
não conceguem ver sua cicatriz
que por um tris
ele ia deixa de se tornar aprendiz

Como pode amar tanto os amigos se não ama a si mesmo!

Prazer, Luciano hoje…

…pausa no caminho!
novembro 7, 2006

em passos largos voltava pra casa…
o vento daquele morro soprava à sua esquerda, enquanto sua mão direita sentia o calor de seu bolso. Então ele para. Por um instante, ele olha para o céu e se pergunta de veio tanto brilho daquela lua que iluminava seu rosto. O olhar um pouco mais longe fez vir lembranças, sentimentos, decisões, saudades…
Ainda de frente para o morro, olha para o celular.
No display: 21:12hs…
Aquela rua vazia, aquele silêncio com alguns ruídos ao longe, ele então se abraça, olha para os lados, sorri pra si mesmo, se despede da lua e continua o caminho de volta pra sua casa, que fica a poucos metros dali.

A lua que ele viu, ninguém mais vê!